segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Será que o Oasis acabou?


Polêmicas sempre foram o forte do Oasis, chegando até mesmo a superar o próprio trabalho da banda. Agora, com a saída de Noel Gallagher após mais uma briga com o irmão Liam, as controvérsias continuam. O primeiro questionamento que vem à tona é se esse não seria só mais um dos milhares de desentendimentos entre os dois egocêntricos Gallagher, que volta e meia são noticiados desde que a banda pousou sob os holofotes da fama. E mais: sem o compositor principal, será que o Oasis ainda tem futuro?
Ao que parece, desta vez a coisa foi mais séria. A cantora Amy MacDonald, que estava no backstage onde tudo teria acontecido, contou em seu Twitter que Liam destruiu uma guitarra do irmão e que essa foi a deixa para que a confusão se instalasse. O resultado da briga todo mundo ficou sabendo no final da semana passada, quando Noel divulgou no MySpace que era “com alguma tristeza e um grande alívio” que ele estava deixando a banda por não agüentar trabalhar com Liam nem mais um dia. Palavras apenas? Só o tempo vai dizer.
Com o tempo, também, será possível saber se esse é o fim definitivo do Oasis ou se a saída de Noel será um divisor de águas na história da banda, com chances de mudanças no estilo das composições. Por enquanto, resta aos fãs relembrar os sucessos até que haja uma resposta para tudo o que está acontecendo.



“Rrrecomêindo!” (parte 9): “Nevermind” – Nirvana


Com 12 faixas e uma capa que, por si só, diz mil palavras, o álbum “Nevermind” colocou de vez a banda Nirvana no mapa da música mundial. O disco se tornou um grande sucesso de público e crítica assim que foi lançado, em 1991, alcançou o primeiro lugar na parada da Billboard e virou referência no cenário do rock.
Dentre os destaques estão as músicas “Smells Like Teen Spirit”, “In Bloom”, “Come As You Are” e “Lithium”, tocadas exaustivamente em rádios de diversos países. As roupas de flanela e a atitude blasé-deprê nunca estiveram tão em alta quanto naquele momento em que Kurt Cobain e sua banda chegaram ao topo.

Abaixo, "Drain You", oitava faixa de "Nevermind" e uma das preferidas de Cobain.




sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Foo Fighters lança “Greatest Hits” em novembro

Com 14 anos de estrada e seis discos de estúdio, a banda Foo Fighters resolveu fazer uma compilação de seus maiores sucessos e lançá-la no dia 2 de novembro. Além de músicas como “The Pretender”, “Learn To Fly” e “Times Like This”, “Greatest Hits” vai trazer duas músicas inéditas: “Wheels” e “Word Forward”. De acordo com o site NME, o tracklist completo deve ser divulgado em breve.


Biografia autorizada de Michael Jackson é lançada em dezembro


No dia 7 de dezembro, chega às lojas a biografia “The Official Michael Jackson Opus”, da editora Kranken Opus. O livro deve conter anotações, manuscritos de letras de músicas, cartas e até ilustrações feitas por Michael Jackson. Um dos desenhos que vão estar presentes na publicação é este aí em cima, elaborado por Michael quando ele ainda tinha 13 anos, durante a Guerra do Vietnã. Segundo a editora, as negociações para o lançamento da biografia foram arrematadas antes da morte do rei do pop, portanto tudo recebeu a aprovação do cantor. De acordo com o site da BBC, a pré-venda na internet já começou no site da editora. Cada livro custa US$ 165 (cerca de R$310).
Amanhã, Michael completaria 51 anos. Para homenageá-lo, “She’s Out Of My Life”, música que Michael certa vez declarou ter sido a balada que mais gostou de gravar em toda sua carreira.


quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Vem aí filme sobre Brian Epstein


Exatos 42 anos depois da morte de Brian Epstein, a revista Variety divulgou que a vida do empresário vai virar filme. “A Life in The Day” — uma alusão à música “A Day in The Life” — deve contar a história do início dos Beatles, banda que Epstein ajudou a levar ao topo e que acompanhou até sua morte por overdose, em 1967. O roteiro do filme ficou por conta de Tony Gottelson e a produção a cargo de David Permut.


Primal Scream e Ting Tings vêm ao Brasil em novembro

Está confirmado: o festival Planeta Terra vai contar com os shows das bandas Primal Scream e The Ting Tings. A edição de 2009 acontece no dia 9 de novembro no Playcenter, em São Paulo. Esta será a primeira apresentação do Ting Tings no Brasil, enquanto o Primal Scream esteve em terras tupiniquins em 2004 no Tim Festival. Os ingressos vão custar R$140 e poderão ser adquiridos no site do Ticketmaster.
Aqui, Ting Tings com “That’s Not My Name”, uma musiquinha bem líder de torcida, chicletinho, mas divertida.


The Doors lança caixa em novembro


Os últimos quatro shows que Jim Morrison e o Doors fizeram em Nova York aconteceram nos dias 17 e 18 de janeiro de 1970 e agora vão se transformar em uma caixa com seis CDs. O lançamento foi batizado de “Live in New York” e deve chegar às lojas dos Estados Unidos no dia 10 de novembro. As apresentações ocorreram no Felt Forum, que hoje se chama WaMu Theatre, e faziam parte da campanha de divulgação do disco “Morrison Hotel”. Olha só o que vem por aí no tracklist:

CD 1 – 17/01/1970 (primeiro show)

1. Start Of Show
2. "Roadhouse Blues"
3. "Ship Of Fools"
4. "Break On Through (To The Other Side)"
5. Tuning
6. "Peace Frog"
7. "Blue Sunday"
8. "Alabama Song (Whisky Bar)"
9. "Back Door Man"
10. "Love Hides"
11. "Five To One"
12. Tuning/Breather
13. "Who Do You Love"
14. "Little Red Rooster"
15. "Money"
16. Tuning
17. "Light My Fire"
18. More, More, More
19. "Soul Kitchen"
20. End Of Show


CD 2 - 17/01/1970 (segundo show)

1. Start Show 2
2. Jim "How Ya Doing?"
3. "Roadhouse Blues"
4. "Break On Through (To The Other Side)"
5. "Ship Of Fools"
6. "Crawling King Snake"
7. "Alabama Song (Whisky Bar)"
8. "Back Door Man"
9. "Five To One"
10. Pretty Neat, Pretty Good
11. "Build Me A Woman"
12. Tuning/Breather
13. "Who Do You Love"
14. Tuning/Breather
15. "Wild Child"
16. Cheering/Tuning
17. "When The Music's Over"


CD 3 – 17/01/1970 (continuação do segundo show)

1. Tuning/Breather
2. "Light My Fire"
3. Hey, Mr. Light Man!
4. "Soul Kitchen"
5. Jim's Fish Joke
6. "The End"
7. End Of Show


CD 4 - 18/01/1970 (terceiro show)

1. Start Show 3
2. "Roadhouse Blues"
3. "Ship Of Fools"
4. "Break On Through (To The Other Side)"
5. Tuning/Breather
6. "Universal Mind"
7. "Alabama Song (Whisky Bar)" - False Start
8. "Alabama Song (Whisky Bar)"
9. "Back Door Man"
10. "Five To One"
11. Tuning/Breather
12. "Moonlight Drive"
13. "Who Do You Love"
14. Calling Out For Songs
15. "Money"
16. Tuning/Breather
17. "Light My Fire"
18. More, More More
19. "When The Music's Over"
20. Good Night - End Show


CD 5 – 18/01/1970 (quarto show)

1. Start Show 4
2. "Roadhouse Blues"
3. "Peace Frog"
4. "Alabama Song (Whisky Bar)"
5. "Back Door Man"
6. "Five To One"
7. We Have A Special Treat
8. "Celebration Of The Lizard"
9. Alright Let's Boogie
10. "Build Me A Woman"
11. "When The Music's Over"
12. More, More, More


CD 6 – 18/01/1970 (continuação do quarto show)

1. "Soul Kitchen"
2. For Fear Of Getting Too Patriotic
3. Petition The Lord With Prayer
4. "Light My Fire"
5. Only When The Moon Comes Out
6. "Close To You"
7. The Encore Begins
8. "Rock Me"
9. What To Do Next?
10. "Going To N.Y. Blues"
11. Tuning/Breather
12. "Maggie M'Gill"
13. Tuning/Breather
14. "Gloria"/End Of Show

"Briga Boa!": Falta uma semana!

Faltam sete dias para encerrar a terceira enquete do Ruído Bom. Se você ainda não votou, aproveite para deixar sua opinião. Para você, qual é a melhor versão de "Dancing Days": a original do Led Zeppelin ou o cover do Stone Temple Pilots? Compare e vote!

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Divulgada lista de músicas de “Celebration”

A coletânea “Celebration”, com lançamento previsto para o dia 21 de setembro, vai trazer uma retrospectiva da carreira da cantora Madonna, além de dois novos singles: “Celebration” e “Revolver”. Aí está o trackist do novo CD duplo da rainha do pop:


CD 1

01) "Hung Up"
02) "Music"
03) "Vogue"
04) "4 Minutes"
05) "Holiday"
06) "Everybody"
07) "Like A Virgin"
08) "Into The Groove"
09) "Like A Prayer"
10) "Ray Of Light"
11) "Sorry"
12) "Express Yourself"
13) "Open Your Heart"
14) "Borderline"
15) "Secret"
16) "Erotica"
17) "Justify My Love"
18) "Revolver"

CD 2

01) "Dress You Up"
02) "Material Girl"
03) "La Isla Bonita"
04) "Papa Don't Preach"
05) "Lucky Star"
06) "Burning Up"
07) "Crazy For You"
08) "Who's That Girl"
09) "Frozen"
10) "Miles Away"
11) "Take A Bow"
12) "Live To Tell"
13) "Beautiful Stranger"
14) "Hollywood"
15) "Die Another Day"
16) "Don't Tell Me"
17) "Cherish"
18) "Celebration"

Os fãs de Madonna que preparem o bolso, porque, além do CD, vem aí um DVD, também. “Celebration: The Vídeo Collection” chegará às lojas no dia 28 de setembro e vai contar com algumas novidades, como cenas inéditas do polêmico vídeo de “Justify My Love”. Confira a lista de clipes presentes no lançamento:

01) "Burning Up"
02) "Lucky Star"
03) "Borderline"
04) "Like A Virgin"
05) "Material Girl"
06) "Crazy For You"
07) "Into The Groove"
08) "Live To Tell"
09) "Paper Don't Preach"
10) "True Blue"
11) "Open Your Heart"
12) "La Isla Bonita"
13) "Who's That Girl"
14) "Like A Prayer"
15) "Express Yourself"
16) "Cherish"
17) "Vogue"
18) "Justify My Love"
19) "Erotica"
20) "Deeper And Deeper"
21) "Rain"
22) "I'll Remember"
23) "Secret"
24) "Take A Bow"
25) "Bedtime Story"
26) "Human Nature"
27) "I Want You"
28) "You'll See"
29) "Frozen"
30) "Ray Of Light"
31) "The Power Of Good-Bye"
32) "Beautiful Stranger"
33) "American Pie"
34) "Music"
35) "Don't Tell Me"
36) "What It Feels Like For A Girl"
37) "Die Another Day"
38) "Hollywood"
39) "Love Profusion"
40) "Hung Up"
41) "Sorry"
42) "Get Together"
43) "Jump"
44) "4 Minutes"
45) "Give It 2 Me"
46) "Miles Away"
47) "Celebration"

Morre a compositora Ellie Greenwich


De acordo com o site NME, a cantora e compositora Ellie Greenwich morreu hoje aos 69 anos. Segundo sua sobrinha, Jessica Weiner, a cantora deu entrada em um hospital em Nova York com pneumonia há alguns dias e teve um ataque cardíaco hoje.
Ellie ficou conhecida pelas parcerias com seu marido, Jeff Barry, e com o produtor de rock Phil Spector, além de ter trabalhado com Neil Diamond, Frank Sinatra e Ella Fitzgerald. Dentre os hits de Greenwich estão as músicas “Cherry Cherry”, gravada por Neil Diamond, e “Be My Baby”, sucesso nas vozes das Ronettes.

“À meia-noite, à meia luz...” (parte 10): “My Friends” – Red Hot Chili Peppers


“My Friends” é a quarta faixa do sexto disco do Red Hot Chili Peppers, “One Hot Minute”, de 1995. Neste álbum, o guitarrista Dave Navarro assume o posto deixado por John Frusciante, que havia abandonado a banda por não se sentir bem com o sucesso estrondoso alcançado com o disco anterior, “Blood Sugar Sex Magik”. Os temas depressão e angústia estão presentes nesta e em outras canções de “One Hot Minute”, que foi considerado um fracasso de vendas apesar de ter alcançado o quarto lugar na parada da Billboard.
Aqui, uma apresentação da banda na época em que o David Letterman ainda tinha cabelos castanhos...


Clássicos com C Maiúsculo (parte 11): “I Wanna Be Sedated” – Ramones

O vocalista Joey Ramone tinha o hábito de inalar vapor d’água antes dos shows dos Ramones para desobstruir suas narinas. Um dia, ele acabou se queimando com a água quente e foi parar no hospital. A vontade de receber algum sedativo que aliviasse a dor foi a faísca que faltava para que surgisse o sucesso explosivo chamado “I Wanna Be Sedated”, sétima faixa do disco “Road to Ruin”, de 1978. Simples, curta e direta como um hit punk deve ser, a música esquenta até hoje as pistas de dança em que o rock predomina.



terça-feira, 25 de agosto de 2009

Elvis Costello faz 55 anos

O cantor Elvis Costello completa hoje 55 anos e lançou recentemente um novo disco chamado “Secret, Profane & Sugarcane”. Uma das faixas do álbum é uma regravação de “Complicated Shadows”, música que também está presente em seu disco “All This Useless Beauty”, de 1996. No momento, além do trabalho como músico, Costello também é apresentador do talk show “Spectacle”, que vai ao ar no Brasil pelo canal HBO. Em seu programa, o cantor já recebeu figuras como Elton John, Lou Reed e até o ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton.
Abaixo, o Police divide o palco com Costello no programa "Spectacle".






Lançado clipe de “The Fixer”

Já viu o novo clipe do Pearl Jam? A música “The Fixer”, do álbum “Backspacer” (lançamento em 20 de setembro), ganhou um vídeo assinado pelo diretor Cameron Crowe, responsável pelos filmes “Vanilla Sky” e “Quase Famosos”. Confira!


Pet Shop Boys vem ao Brasil em outubro

A dupla inglesa Pet Shop Boys confirmou que o Brasil fará parte da turnê de lançamento do novo disco, “Yes”, lançado em março deste ano. As apresentações serão no Chevrolet Hall, em Belo Horizonte (dia 9 de outubro), no Marina Hall, em Brasília (dia 11), no Credicard Hall, em São Paulo (dia 13) e no Citibank Hall, no Rio de Janeiro (dia 14). Além do Brasil, o tour pela América Latina inclui Chile, Argentina, Peru, Venezuela e República Dominicana.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

“Rrrecomêindo!” (parte 8): “Longo Caminho” – Os Paralamas do Sucesso

O disco “Longo Caminho”, de 2002, funciona como um divisor de águas na carreira dos Paralamas do Sucesso. Não por ter havido uma grande mudança no gênero ou nas composições, mas por ser o primeiro gravado pela banda após o acidente de ultraleve que paralisou o cantor Herbert Vianna e vitimou sua mulher, Lucy.
As músicas já haviam sido compostas antes do desastre e foram gravadas no estúdio da casa do cantor. Simples, por contar mais com os três paralamas que com a banda de apoio, o álbum traz as participações especiais do guitarrista Dado Villa-Lobos e do músico argentino Fito Paez.
O repertório possui canções que falam sobre a violência sem deixar de ter aquelas em que o amor é o tema principal. A faixa título é um dos destaques, por ser suave e ainda manter a levada já conhecida do público que acompanha o grupo desde a década de 80.
“O Calibre”, “Seguindo Estrelas” e “Cuide Bem do Seu Amor” estouraram nas rádios na época do lançamento. No entanto, o disco conta com mais canções de efeito, como a bela “Soldado da Paz”, que celebra a vida com os versos “Não há perigo/ Que vá nos parar/ Se o bom de viver é estar vivo/ Ter amor, ter abrigo/ Ter sonhos, ter motivos pra cantar...”.
Além do álbum, os paralamas lançaram o DVD “Longo Caminho”, com vídeos dos ensaios e do processo de produção do disco.




Mais shows do Faith No More no Brasil


O tecladista do Faith No More, Roddy Bottum, divulgou mais uma vez em seu Twitter novos shows no Brasil. Segundo Bottum, além de São Paulo, a banda vai se apresentar no dia 3 de novembro no Pepsi On Stage, em Porto Alegre, e no dia 5 de novembro do Citibank Hall, no Rio de Janeiro. O tecladista se disse bastante animado por voltar ao Brasil.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

“Soundtrack” (parte 5): “Forrest Gump”


Vencedor de 38 prêmios, dentre os quais seis foram Oscars, “Forrest Gump” não ganhou o troféu de melhor trilha sonora original, apesar de ter merecido — e muito — a indicação. As músicas escolhidas para emoldurar os encontros da personagem interpretada brilhantemente por Tom Hanks com os acontecimentos mais importantes da história contemporânea caíram como uma luva. O disco duplo tem um pouco de tudo o que fez parte das últimas cinco décadas do século XX: Elvis Presley, Joan Baez, Creedence Clearwater Revival, Aretha Franklin, Beach Boys, The Doors, Bob Dylan, The Supremes, Lynyrd Skynyrd, Jefferson Airplane, Simon & Garfunkel e outros artistas.
Como o filme foi um exagero de boa música, nem todas as canções que aparecem durante o longa estão presentes no álbum duplo. Ficaram de fora Jimi Hendrix, com “Hey Joe” e “All Along the Watchtower”, Fleetwood Mac, com “Go Your Own Way”, dentre outras. O CD, no entanto, é, com toda certeza, um daqueles itens indispensáveis para qualquer amante do rock.

Ficha técnica:
Filme:
Forrest Gump
Direção: Robert Zemeckis
Duração: 142 minutos
Ano: 1994
Elenco: Tom Hanks, Sally Field, Robin Wright Penn, Gary Sinise




Toca Raul!

Há 20 anos, o cantor Raul Seixas foi para outra dimensão. Sua obra, contudo, ficou para mostrar que Raulzito era mesmo um cara de outro mundo.
Compositor, poeta e filósofo, Raul Seixas propôs uma sociedade alternativa que até hoje não passou de sonho. Foi preso, torturado e exilado, mas fez a ditadura engolir em seco quando voltou ao Brasil por conta do sucesso de Gita, que lhe rendeu um disco de ouro. E o sucesso não parou por aí. “Metamorfose Ambulante”, “Ouro de Tolo”, “Mosca na Sopa”, “Tente Outra Vez”, “Maluco Beleza”... Falta espaço para enfileirar os hits eternos do cantor baiano, tão mitificados que até inspiram o famoso bordão “Toca Raul!” no show de quem quer que seja.
Mesmo depois da morte, Raul Seixas continua tocando nas rádios e vendendo muitos discos. Mas como para Raul "ninguém morre, as pessoas despertam do sonho da vida", dá até para imaginar o “maluco beleza” agitando por aí ainda. So let him sing his rock and roll!


quinta-feira, 20 de agosto de 2009

U2 “desenterra” inédita

O disco “The Unforgettable Fire”, do U2, completa 25 anos e vai ganhar uma edição comemorativa com faixas bônus inéditas. O cantor Bono Vox e o guitarrista The Edge declararam em uma entrevista à Rádio 1, da BBC, que, quando estavam reunindo o material para o relançamento, encontraram as músicas. Uma das músicas se chama "Disappearing Act" e já estava com a parte instrumental pronta, sendo necessário apenas acrescentar os vocais e fazer alguns ajustes. Curioso? Ouça o programa clicando aqui.
Em tempo: Além do trecho de "Disappearing Act", que se chamava originalmente "White City", há mais revelações na entrevista. The Edge diz que gostaria de ser substituído por Jimmy Page caso não pudesse tocar em algum show do U2. Bono conta que a idéia para o palco da turnê 360 surgiu em um restaurante enquanto observavam garfos juntos. Os dois lembram, ainda, da vez em que jogaram futebol com Romário, dentre outras histórias.

Beatles em 3D


Olha, eu até tento não falar dos Beatles para não ficar tão na cara a minha paixão por essa banda, mas... Olha só o que deu na Variety: vem aí um remake em 3D do filme “Yellow Submarine”, a ser produzido pelos estúdios Disney em parceria com o cineasta Robert Zemeckis. A nova versão seria produzida com a técnica “live action”, a mesma usada em “Beowulf”. A expectativa é de que a animação chegue aos cinemas em meados de 2012, na época das Olimpíadas de Londres.


“À meia-noite, à meia luz...” (parte 9): “Still Got The Blues (For You)” – Gary Moore


Faixa título do disco “Still Got The Blues” (1990), a canção rendeu alguns milhões para o guitarrista Gary Moore e marcou sua volta às raízes do blues. Tudo muito bom, tudo muito bem, até que, em 2008, o artista foi acusado de plágio por uma banda alemã chamada Jud’s Gallery. O grupo alegou que o solo de guitarra de “Still Got The Blues (For You)” era uma cópia de “Nordrach”, gravada em 1974 e pouco conhecida do público fora da Alemanha. A corte reconheceu que não havia evidências de plágio, mas condenou Moore e sua gravadora a pagarem direitos autorais por violação de copyright.
Plágio ou não, “Still Got The Blues (For You)” é uma daquelas baladas para ouvir no escurinho e curtir cada acorde de guitarra.


"Clássicos com C Maiúsculo" (parte 10): “Bohemian Rhapsody” – Queen


“Bohemian Rhapsody” faz parte do disco “A Night at The Opera”, lançado pelo Queen em 1975, e foi considerada pelos britânicos, em uma pesquisa realizada no ano passado, a melhor canção pop de todos os tempos. Para alguns fãs, a letra diz respeito à época em que Freddie e seus pais foram forçados pelo governo a deixar sua terra natal, Zanzibar, e mudaram-se para a Inglaterra. No entanto, o cantor desmentia a versão e afirmou certa vez que a letra eram apenas rimas sem sentido.
Pelo sim e pelo não, “Bohemian Rhapsody” foi a primeira música do Queen a figurar entre as dez mais tocadas nas paradas norte-americanas, além de permanecer por nove semanas em primeiro lugar no Reino Unido.




Quer saber mais sobre aquele Clássico com C Maiúsculo? Mande sugestões!

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Vote na enquete!

Qual é a melhor versão de "Dancing Days": a original do Led Zeppelin ou o cover do Stone Temple Pilots? Assista aos vídeos e participe da enquete!

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Novidades sobre novo disco do Kiss

“Sonic Boom” é o nome do novo disco do Kiss, que será lançado no dia 6 de outubro nos Estados Unidos. A produção do álbum, o primeiro de inéditas desde 1999, ficou a cargo do guitarrista Paul Stanley. De acordo com uma declaração do baixista Gene Simmons, "se você é um fã do Kiss desde 1977, se sentirá em casa".
Aí estão os títulos das faixas:

01. "Modern Day Delilah"

02. "Russian Roulette"

03. "Never Enough"

04. "Yes I Know (Nobody's Perfect)"

05. "Stand"

06. "Hot And Cold"

07. "All For The Glory"

08. "Danger Us"

09. "I'm An Animal"

10. "When Lightning Strikes"

11. "Say Yeah"

Smokey Robinson grava cover de “Don’t Know Why”

O cantor Smokey Robinson, aos 50 anos de carreira, gravou um cover para a belíssima “Don’t Know Why”, de Jesse Harris. A canção ficou conhecida na voz de Norah Jones, quando foi lançada no disco “Come Away With Me”, em 2002.
O cover vai fazer parte do disco “Time Flies When You’re Having Fun”, que marca as cinco décadas de carreira de Robinson. Joss Stone e Carlos Santana estão entre os artistas convidados para participações especiais.

“Bleach” completa 20 anos e ganha edição especial

Acredite: há 20 anos, o Nirvana lançou seu primeiro CD, “Bleach”. O tempo voa, mesmo... Para celebrar a passagem de duas décadas desde o lançamento, a Sub Pop Records está preparando uma edição especial com um CD e um vinil duplo, a chegar às lojas no dia 3 de novembro. A gravação foi remasterizada a partir das fitas originais. Além das músicas que já faziam parte do LP original, o disco vai trazer as faixas “Big Cheese” e “Downer”, excluídas do projeto em 1989, e um livro com fotos inéditas da banda, que, na época, tinha Chad Channing na bateria.
Abaixo, a terceira faixa de “Bleach”: “About a Girl”.



“Rrrecomêindo!” (parte 7): “Kind of Blue” – Miles Davis

50 anos depois de seu lançamento, o disco “Kind of Blue”, de Miles Davis, continua influenciando muita gente por aí. Não é para menos. Contando com uma banda cheia de grandes nomes — Bill Evans, John Coltrane e companhia —, é o álbum de jazz mais vendido da história.
Algumas horas antes das gravações, Miles Davis idealizou as músicas de “Kind of Blue” e levou os esboços ao 30th Studio da Columbia Records, onde o álbum foi gravado em apenas duas sessões. Assim, os músicos conseguiram o máximo de improvisação, marca registrada do jazz.
Aqui, a faixa “So What”, primeira desse disco must have.


sexta-feira, 14 de agosto de 2009

“Soundtrack” (parte 4): “Uma Lição de Amor”


Já que estamos no terreno “The Beatles”, nada melhor do que falar sobre o filme “Uma Lição de Amor”(“I Am Sam”, em inglês), que conta com uma trilha sonora só de covers de músicas dos fab four. Dirigido por Jessie Nelson, o longa-metragem conta a história de um homem com problemas mentais que enfrenta uma batalha judicial para recuperar a guarda de sua filha. A história, bastante emocionante, já valeria a pena sem a trilha sonora e o disco também se venderia sozinho sem o pretexto do filme, afinal, Beatles são sempre Beatles.
O álbum reúne belas versões, como “I’m Looking Through You”, interpretada pelo Wallflowers, “Don’t Let Me Down”, com o Stereophonics, e “You’ve Got To Hide Your Love Away”, na voz de Eddie Vedder. Há também covers de “Mother Nature’s Son”, com Sheryl Crow, “Strawberry Fields Forever”, com Ben Harper, e “Lucy in The Sky With Diamonds”, com o Black Crowes, dentre outras canções.

Ficha Técnica:
Filme:
“Uma Lição de Amor” (“I Am Sam”)
Direção: Jessie Nelson
Duração: 132 minutos
Ano: 2001
Elenco: Sean Penn, Michelle Pfeiffer, Dakota Fanning, Diane Wiest.




Tem novidade no site dos Beatles!


O site oficial dos Beatles disponibilizou hoje um mini-documentário sobre o processo de gravação do disco “Beatles For Sale”. O álbum foi remasterizado e será relançado no dia 9 de setembro (09/09/09 te diz alguma coisa? Para mim, a relação com “Revolution 9” foi imediata... “Number nine, number nine, number nine...”). Além de “Beatles for Sale”, os outros 12 discos oficiais da banda também serão oferecidos aos fãs em versões remasterizadas.


40 anos de Woodstock: paz, amor e rock n' roll


1969 não foi apenas o último ano de uma década conturbada, marcada pela Guerra do Vietnã, pela chegada do homem à lua e pelos movimentos da contracultura. Foi nos dias 15, 16 e 17 de agosto deste ano que aconteceu o Festival de Woodstock, um verdadeiro marco histórico que uniu o lema “sexo, drogas e rock n’ roll” ao protesto da juventude pela paz mundial.
Durante os três dias de evento, nomes como Jimi Hendrix, Janis Joplin, The Who, Creedence Clearwater Revival e outros tantos subiram ao palco montado na fazenda de Max Yasgur em Bethel, no estado de Nova York, e se apresentaram para um público que superou todas as expectativas dos idealizadores do festival. A princípio, 180 mil pessoas compraram ingressos para assistir aos shows. No entanto, a estrutura armada não foi suficiente para conter a multidão e o controle na entrada da fazenda tornou-se impossível, o que acabou transformando o festival em um evento gratuito.
Os dados oficiais dão conta de que havia aproximadamente 400 mil pessoas no local, mas nada é confirmado. Para tanta gente, faltou comida, banheiros e abrigo. Não faltaram, porém, momentos memoráveis, que entraram para a história da música e do século XX.
Um dos acontecimentos registrados no documentário “Woodstock”, dirigido por Michael Wadleigh e relançado recentemente em DVD e Blue-Ray, foi o show da cantora Joan Baez, cujo marido foi preso por não querer entrar nas Forças Armadas. Grávida, a cantora protestou contra a Guerra do Vietnã, engrossando o coro dos que se opunham à presença dos Estados Unidos no país asiático.
A execução do hino nacional americano pelas mãos e guitarra de Jimi Hendrix também se tornou um símbolo do Festival de Woodstock. Acompanhado pelo baixista Billy Cox, o baterista Mitch Mitchell, o guitarrista Larry Lee e os percussionistas Jerry Vélez e Juma Sultan, Hendrix fez de “The Star-Spangled Banner” mais um ato contrário à guerra.
Woodstock foi, ainda, o palco para um Carlos Santana iniciante, que, mesmo sem ter lançado nenhum disco até ali, fez um dos shows mais lembrados quando o assunto é o festival. Abaixo, o vídeo de “Soul Sacrifice”.



40 anos depois, Woodstock ainda faz pensar: quantas décadas serão necessárias para que os conflitos armados não mais tirem a vida de pessoas inocentes ao redor do mundo? O festival não pôs um fim nas guerras, mas, certamente, deixou um legado de “paz e amor” que supera a desordem vista em todo o evento. Ademais, ficou a música, que ainda ecoa nas gerações que vieram depois dos anos 60 e boa música, independentemente de quantos anos se passem, é imortal e atemporal.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

“Briga Boa!” — Led Zeppelin ou Stone Temple Pilots? Vote!

Qual é a melhor versão de “Dancing Days”: a original do Led Zeppelin ou o cover do Stone Temple Pilots? Assista aos vídeos, compare e vote na enquete! Em breve, o resultado será postado aqui no Ruído Bom. Participe!

“À meia-noite, à meia luz...” (parte 8): “João e Maria” – Chico Buarque


O músico Sivuca compôs uma bela valsa em 1947 e, trinta anos depois, a melodia chegou às mãos de Chico Buarque, que providenciou uma letra à altura da obra prima. O resultado foi a canção “João e Maria”, inspirada em histórias infantis.
Abaixo, Chico divide o microfone com Nara Leão.


“Clássicos com C Maiúsculo” (parte 9): “Pinball Wizard” – The Who


Escrita por Pete Townshend, “Pinball Wizard” faz parte da ópera-rock “Tommy”, de 1969. A canção fala sobre o protagonista do musical, um garoto surdo-mudo-cego que se transforma em um grande jogador de pinball e conquista inúmeros fãs.
Quando compôs “Pinball Wizard”, Townshend não gostou do resultado e, não fosse o incentivo de seus companheiros de banda, ela não teria chegado aos ouvidos do público. Para a surpresa do guitarrista, o espetáculo se tornou um sucesso da Broadway e a canção é um dos maiores hits do Who.




Quer saber mais sobre aquele Clássico com C Maiúsculo? Envie sugestões!

Faith No More vem para o Brasil em novembro


O tecladista Roddy Bottum confirmou ontem em seu Twitter que a banda Faith No More será uma das atrações do festival Maquinaria, em São Paulo. O show acontece no dia 7 de novembro e os ingressos começam a ser vendidos amanhã pelo telefone 4003-1212 ou pelo site http://www.ingressorapido.com.br/ até o dia 30 de agosto. Os preços variam entre R$200 para pista e R$450 para a área vip.

Novidades sobre "Black Gives Way to Blue"


A página oficial da banda Alice in Chains divulgou a capa do novo disco "Black Gives Way To Blue" (foto acima) e o repertório do novo trabalho. Aí está a lista:


- All Secrets Known

- Check My Brain

- Last Of My Kind

- Your Decision

- A Looking in View

- When The Sun Rose Again

- Acid Bubble

- Lessons Learned

- Take Her Out

- Private Hell

- Black Gives Way to Blue (participação especial de Elton John)

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Parabéns, Mark Knopfler!

O guitarrista Mark Knopfler completa hoje sessenta anos e se prepara para o lançamento de seu sexto disco solo, “Get Lucky”, previsto para chegar às lojas em meados de setembro. Para os curiosos de plantão, uma das faixas do álbum já pode ser ouvida na internet.
Além do novo trabalho, o ex-vocalista do Dire Straits anunciou recentemente que fará uma turnê em 2010 para divulgar o CD.
Aqui, Knopfler divide o palco com Eric Clapton e eles tocam o clássico "Sultans Of Swing". Imperdível!




Ruído Ruim... (parte 2)

Ainda sobre o assunto Information Society no Domingão do Faustão, aí vai uma amostra da boa vontade de Paul Robb com o público brasileiro, para quem ainda não teve a oportunidade de ver:

Hum... Pegou mal...

terça-feira, 11 de agosto de 2009

"Sweet Child O'Mine" é o melhor riff de todos os tempos, segundo The Sun

Uma pesquisa feita pelo tablóide inglês The Sun revela que o riff da música "Sweet Child O'Mine" é o melhor da história do rock na opinião dos entrevistados. A canção do Guns n' Roses ficou na frente até mesmo de "Smoke on The Water", do Deep Purple, e "Voodoo Child", de Jimi Hendrix. Take a look:


1 - "Sweet Child O'Mine" - Guns n' Roses
2 - "Layla" - Eric Clapton
3 - "Walk This Way" - Aerosmith
4 - "Beat It" - Michael Jackson
5 - "Ace Of Spades" - Motörhead
6 - "Voodoo Child" - Jimi Hendrix
7 - "Another One Bites The Dust" - Queen
8 - "Smells Like Teen Spirit" - Nirvana
9 - "Smoke on The Water" - Deep Purple
10 - "American Idiot" - Green Day


Bom, na minha humilde opinião, alguns riffs foram injustiçados. Cadê "Back in Black"? E "Enter Sandman"? E quanto a "Iron Man"? Anyway, aí vai o vencedor da eleição britânica:


Thom Yorke declara que Radiohead não quer mais lançar álbuns

Depois de banir o patrocínio de grandes corporações em seus shows e de lançar o disco "In Rainbows" em formato digital permitindo que os fãs pagassem o que acham justo pelo download, a banda Radiohead promete inovar mais uma vez. Em uma entrevista à revista The Believer, o vocalista Thom Yorke disse que sua banda deve parar de lançar álbuns de longa duração. Segundo Yorke, um novo CD poderia "matar" o Radiohead porque seria uma chatice voltar ao que ele chamou de "bagunça criativa", que é o processo de produzir um novo disco. Em contrapartida, a banda deve preferir lançar trabalhos no formato EP ou pela internet. Na semana passada, o grupo lançou em sua loja online o single "Harry Patch (In Memory Of)" em homenagem ao último soldado britânico sobrevivente da Primeira Guerra Mundial, que morreu no dia no dia 25 de julho.

Elton John grava com Alice in Chains


O novo álbum da banda Alice in Chains, previsto para sair em setembro, conta com a ilustre participação do cantor Elton John tocando piano em uma das faixas. A música se chama "Black Gives Way To Blue" e presta uma homenagem ao ex-vocalista da banda, Layne Staley, morto em 2002 por overdose. O guitarrista Jerry Cantrell declarou que Elton John é uma pessoa bastante calorosa e que manteve a mente aberta às sugestões dos membros da banda.

Morrissey pede boicote às novas caixas

Na última sexta-feira, foi divulgado o lançamento de duas caixas com singles e lados-B do cantor Morrissey gravados no período de 1988 a 1995. Ao que parece, no entanto, o ex-vocalista dos Smiths não ficou nada satisfeito com a novidade e pediu que os fãs não comprem as novas caixas. Em uma declaração para o site True-to-you.net, Morrissey afirmou que ninguém solicitou sua autorização para o lançamento e que ele não vai receber nenhum dinheiro sobre as vendas. Ainda de acordo com o site, o cantor não recebe royalties da gravadora EMI desde 1992 nem da Warner - que lançou CDs e LPs dos Smiths sem consultá-lo também - há cerca de dez anos. Tá dado o recado.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

“Space Oddity” ganha edição comemorativa


40 anos depois do lançamento do disco “Space Oddity”, os fãs do cantor David Bowie vão ganhar um presente em outubro: o álbum será relançado em versão dupla, em que um CD trará o repertório original do disco, enquanto o outro vai conter demos, lados-B e versões inéditas. De acordo com o site oficial do cantor, além das canções, o lançamento reunirá textos e fotos raras da época. A edição comemorativa de “Space Oddity” poderá ser encontrada em versão física ou no formato virtual a ser vendido no iTunes.
Segue a lista do que estará no álbum duplo:

CD 1:

01 - "Space Oddity" (5.14)

02 - "Unwashed And Somewhat Slightly Dazed (inc. Don't Sit Down)" (6.51)

03 - "Letter To Hermione" (2.32)

04 - "Cygnet Committee" (9.31)

05 - "Janine" (3.21)

06 - "An Occasional Dream" (2.54)

07 - "Wild Eyed Boy From Freecloud" (4.46)

08 - "God Knows I'm Good" (3.17)

09 - "Memory Of A Free Festival" (7.09)


CD 2:

01 - "Space Oddity" (demo) (5.10) *

02 - "An Occasional Dream" (demo) (2.49) *

03 - "Wild Eyed Boy From Freecloud" (single B-side) (4.56)

04 - "Brian Matthew interviews David/Let Me Sleep Beside You" (BBC Radio session D.L.T. Show) (4.45)

05 - "Unwashed And Somewhat Slightly Dazed" (BBC Radio session D.L.T. Show) (3.54) *

06 - "Janine" (BBC Radio session: D.L.T. Show) (3.02)

07 - "London Bye Ta-Ta" (stereo version) (3.12)

08 - "Prettiest Star" (stereo version) (3.12)

09 - "Conversation Piece" (stereo version) (3.06) *

10 - "Memory Of A Free Festival (Part 1)" (single A-side) (4.01)

11 - "Memory Of A Free Festival (Part 2)" (single B-side) (3.30)

12 - "Wild Eyed Boy From Freecloud" (alternate album mix) (4.45) *

13 - "Memory Of A Free Festival" (alternate album mix) (9.22) *

14 - "London Bye Ta-Ta" (alternate stereo mix) (2.34) *

15 - "Ragazzo Solo, Ragazza Sola" (full length stereo version) (5.14) *
As faixas assinaladas com um asterisco são versões inéditas, não lançadas em discos anteriores.

“Rrrecomêindo!” (parte 6): “Mexican Spaghetti Western” – Chingon

Gravado em 2004, o disco “Mexican Spaghetti Western” é o primeiro da banda texano-mexicana Chingon, que já havia, antes disso, contribuído para a trilha sonora do filme “Era Uma Vez no México”, do diretor Robert Rodriguez. Foi o próprio cineasta quem juntou os integrantes do grupo para gravar as músicas de seu filme e, mais tarde, contou com eles para as trilhas sonoras de outros longas, como “Grindhouse: Planeta Terror”.

Influenciada por rock n’ roll e mariachis, a banda apresenta no disco de estréia um repertório contagiante. Dentre os destaques estão a canção tradicional mexicana “Malagueña Salerosa” — que faz parte da trilha sonora do filme “Kill Bill Volume 2”, do cineasta Quentin Tarantino — “Cuka Rocka” e “Fideo Del Oeste”.


Ruído Ruim...

Minha gente, será que alguém pode me explicar o que foi a apresentação do Information Society ontem no Domingão do Faustão? O vocalista Paul Robb não lembra nem de longe aquele cantor que fez tanto sucesso há 15, 20 anos... Sua voz parece ter sumido, de tão fraca e sem entusiasmo. Depois de ver aquela aparição sem sal, perdi a vontade de ver a banda ao vivo, no show que fará aqui em Curitiba nesta semana. Definitivamente, o Information Society não é mais aquele...

“Briga Boa!” (parte 3): “Dancing Days”

Inspirada em uma música indiana ouvida por Robert Plant e Jimmy Page em uma viagem a Bombaim, “Dancing Days” foi gravada em 1972 e lançada no ano seguinte no disco “Houses of The Holy”. Reza a lenda que, ao gravarem a canção, os integrantes da banda ficaram tão felizes com o resultado que começaram a dançar — daí o título “Dancing Days”.



Em 1995, vários artistas se reuniram para prestar uma homenagem ao Led Zeppelin com o álbum “Encomium: A Tribute to Led Zeppelin”. 4 Non Blondes, Hootie & the Blowfish, Sheryl Crow, Duran Duran, Blind Melon e outros nomes gravaram versões dos hits da banda de Robert Plant e companhia. Uma das músicas que fazem parte do disco-tributo é o cover de “Dancing Days” gravado pelo Stone Temple Pilots. No auge da fama, em pleno movimento grunge, o grupo de Scott Weiland criou uma versão mais acústica para a música.



Para você, quem ganha essa Briga Boa? A versão original do Led Zeppelin ou o cover do Stone Temple Pilots? Participe da enquete e aguarde para ver quem leva a melhor!

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Soundtrack (parte 3): “Na Natureza Selvagem”

Antes de assistir ao filme “Na Natureza Selvagem” (“Into The Wild” em inglês), conheci a trilha sonora composta pelo cantor Eddie Vedder e me apaixonei imediatamente pelas músicas. O disco passou a ser minha trilha sonora quase que diária, se transformou em uma espécie de “Pasárgada do áudio” — era só ouvir as canções que toda a tensão do cotidiano parecia ir se dissolvendo, enquanto eu me transportava mentalmente para uma paisagem no meio da natureza. Algum tempo depois, assisti ao longa-metragem e gostei muito de conhecer a história real retratada ali.
“Na Natureza Selvagem” é inspirado no livro homônimo escrito pelo jornalista e alpinista Jon Krakauer. A obra conta a história verídica do jovem Christopher McCandless, que decidiu largar tudo (família, amigos, dinheiro, profissão, etc) e ir sozinho dos Estados Unidos até o Alasca. Para emoldurar a jornada solitária de McCandless, Vedder criou uma série de músicas que falam sobre liberdade e desapego, como "Far Behind", "No Ceiling" e "Society".
Um dos destaques é a faixa "Guaranteed", que tem como primeiro verso uma frase bem simbólica: "On bended knees is no way to be free" (Ficar de joelhos não é o caminho para a liberdade). É despertando para reflexões que Eddie Vedder segue por todo o álbum, sem deixar de trazer ao ouvinte a experiência prazerosa de ouvir uma boa música.

Ficha técnica:
Filme: "Na Natureza Selvagem" ("Into The Wild")
Direção: Sean Penn
Duração: 148 minutos
Ano: 2007
Elenco: Emile Hirsch, Marcia Gay Harden, William Hurt, Vince Vaughn.


Morrissey lança retrospectiva de sua carreira solo


Os singles e lados-B que fizeram parte dos primeiros anos da carreira solo do cantor Morrissey vão ser relançados em duas novas caixas. A primeira compilação vai trazer músicas gravadas entre 1988 e 1991 e chegará às lojas no dia 12 de outubro. Já à segunda, com lançamento previsto para 2 de novembro, caberá reunir singles do período entre 1991 e 1995.
Uma das canções que vão figurar no lançamento é “The More You Ignore Me The Closer I Get”, de 1994.


Resultado "Briga Boa!" (parte 2)

Com a maioria esmagadora de votos (83%), venceu a disputa a versão original de "Wrapped Around Your Finger", gravada pelo Police. O cover em espanhol lançado pelo Skank conseguiu 17% do total de votos. O espaço vai, então, ao vencedor!



Em breve, mais uma Briga Boa aqui no Ruído Bom!

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Them Crooked Vultures deve lançar disco ainda neste ano


A banda de nome complicado e formada por figurinhas fáceis na discoteca de qualquer amante do rock — Dave Grohl (Foo Fighters), Josh Homme (Queens of The Stone Age) e John Paul Jones (Led Zeppelin) — deve lançar seu primeiro disco no final de outubro, segundo o site Antiquiet. De acordo com informações divulgadas na página, no próximo domingo, dia 9, o Them Crooked Vultures vai se apresentar em Chicago, nos Estados Unidos, e já planeja fazer uma turnê em breve.

“À meia-noite, à meia luz...”(parte 7): “Ex-Factor” – Lauryn Hill

Lançada em 1998 no blockbuster “The Miseducation of Lauryn Hill” (álbum que, certamente, merece um “Rrrecomêindo!”), a música “Ex-Factor” foi o terceiro single da carreira solo da cantora. O talento muito acima da média fica evidente na faixa, que mistura a batida sampleada de “Can It Be All So Simple”, do Wu-Tang Clan, com a personalidade forte de Lauryn Hill.

Clássicos com C Maiúsculo (parte 8): “Janie’s Got a Gun” – Aerosmith


Cada um tem um jeito diferente de encarar uma tragédia. Para os jornais, violência pode virar notícia; já para o cantor Steven Tyler, da banda Aerosmith, pode ser o tema para um grande sucesso. “Janie’s Got a Gun” é inspirada em um texto que saiu em um jornal americano sobre crianças assassinadas com armas de fogo. A partir da leitura, Tyler compôs a canção sobre uma menina que mata o pai com um tiro após ser abusada sexualmente por ele.

O segundo single do disco “Pump”, lançado em 1989, rendeu à banda o primeiro Grammy de sua carreira e o vídeo da música, dirigido pelo cineasta David Fincher, ganhou dois prêmios da MTV americana: melhor clipe de rock e escolha da audiência.




Quer saber mais sobre aquele Clássico com C Maiúsculo? Mande sugestões!

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

MCA faz aniversário hoje


O Beastie Boy Adam Yauch, também conhecido como MCA, completa hoje 45 anos. Às vésperas de lançar o novo CD com os companheiros de banda, o músico foi diagnosticado com câncer na glândula salivar. De acordo com os médicos que cuidam de Yauch, como o tumor foi descoberto em estágio inicial, há grandes chances de que ele se recupere. Na torcida pela melhora de MCA, aí vai o premiado clipe da música "Sabotage".


Tem música nova no site do Radiohead


A música "Harry Patch (In Memory Of)" já está disponível para downloads na loja virtual de músicas do Radiohead. A canção é uma homenagem ao veterano da Primeira Guerra Mundial Harry Patch, que morreu na semana passada. O download custa uma libra, o que equivale a pouco mais de três reais, e a renda será revertida para a Legião Britânica Real, que dá assistência a veteranos na Inglaterra.

Briga Boa - último dia da enquete!

Se você ainda não votou na enquete, ainda há tempo! Vote para decidir quem vence a disputa: a versão original de "Wrapped Around Your Finger", gravada pelo Police, ou o cover em espanhol feito pelos brasileiros do Skank.
Assista aos vídeos e dê sua opinião!

terça-feira, 4 de agosto de 2009

O poder da escala pentatônica

Conhecido pelo sucesso "Don't Worry, Be Happy", o cantor Bobby McFerrin é um músico cheio de talentos. Além de ter uma extensão vocal de quatro oitavas e de ser filho de Robert McFerrin - o primeiro barítono negro a ganhar fama no mundo da ópera -, Bobby tem no currículo oito Grammys e trabalhos com artistas renomados, como Chick Corea e Herbie Hancock. Com todo esse background, o músico foi convidado a participar do debate "Notas & Neurônios: em busca de um refrão em comum", parte do Festival Mundial da Ciência 2009. Olha só no que deu:


Incrível, não? O diálogo no final também é ótimo. Bobby conta que, independentemente de onde ele faça essa "brincadeira" com a escala pentatônica, a resposta do público é sempre a mesma. Aí, outro participante do debate diz: "Se você estiver procurando um emprego em neurociência..."
Crédito ao Blog Kibe Loco, em que encontrei o vídeo.

Falando em aposentadoria...


O vocalista do AC/DC Brian Johnson declarou em entrevista à Classic Rock que pretende encerrar a carreira. Segundo o cantor, que tem 61 anos, hoje já não é tão fácil se manter na ativa como na época em que entrou na banda para substituir Bon Scott. Não é a primeira vez que Johnson afirma que vai se aposentar, já que em 2000 ele anunciou que pararia de fazer shows. No entanto, ele já teria até feito um acordo com os colegas de grupo: cumprir a agenda de compromissos, que vai até 2011 e, só depois, descansar do rock.

Dave Grohl ganha homenagem em sua terra natal



Gente chique é outra coisa... O cantor, baterista, guitarrista, etc, etc, etc Dave Grohl acabou de ganhar uma homenagem bem bacana: a rua onde nasceu e viveu seus primeiros anos, em Warren, Ohio, passou a se chamar Dave Grohl Aleey a partir do último sábado. Quem foi à cerimônia de inauguração viu o artista bem feliz, cantando "Everlong", "Times Like These", "My Hero" e outros sucessos.

Paul declara que não vai se aposentar


Depois dos inúmeros boatos de que a próxima turnê do cantor Paul McCartney será também sua última, o ex-beatle afirmou em uma entrevista ao Boston Herald que pretende continuar nos palcos enquanto for possível. "Enquanto as pessoas quiserem vir e me ver, eu provavelmente vou continuar fazendo shows. É tão fácil começar um boato...", disse Paul, que chegou a comparar os boatos atuais com os rumores surgidos em 1969 de que estaria morto.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

“Rrrecomêindo!” (parte 5): “Kaya n’Gan Daya” – Gilberto Gil

Ao encontrar semelhanças entre o cangaceiro e o Rastaman, levando em consideração a luta de ambos por justiça e liberdade, Gilberto Gil juntou brasilidade ao ritmo de Bob Marley para gravar o maravilhoso CD “Kaya N’Gan Daya”. O tributo ao grande difusor do reggae conta com clássicos como “Buffalo Soldier”, “One Drop” “Waiting in Vain”, “Could You Be Loved”, “Lively Up Yourself” e tantos outros hits que se revezam a músicas compostas por Gil, como “Table Tennis Table” e “Não Chore Mais”, a versão em português para “No Woman, No Cry”. As participações mais que especial de Rita Marley, Marcia Griffiths, Judy Mowatt, Samuel Rosa, Henrique Portugal e os Paralamas do Sucesso asseguraram ainda mais qualidade ao trabalho.


Scott Weiland fala sobre novo álbum do Stone Temple Pilots



De acordo com o cantor Scott Weiland, o novo disco do Stone Temple Pilots já tem 18 músicas compostas. Em entrevista ao Las Vegas Review Journal, o vocalista declarou que 12 dessas músicas serão selecionadas para entrar no novo trabalho. Ainda não há previsão para a data de lançamento.

Chili Peppers ensaia volta aos estúdios


Depois de um hiato de dois anos, o Red Hot Chili Peppers vai se reunir em outubro para criar um novo álbum. O baterista Chad Smith disse à Billboard que a banda pretende gravar um novo disco mesmo não tendo ainda decidido quem ficará encarregado da produção. Ele afirmou, também, que as novas músicas devem surgir a partir de improvisações e jam sessions, um hábito dos Chili Peppers na hora de compor.
O último disco lançado pela banda foi “Stadium Arcadium”, um álbum duplo que mistura pop e funk de uma maneira bem interessante.